OSIMM – Modelo de Maturidade SOA aberto

Maturidade SOA para evolução arquitetural

Maturidade SOA para evolução arquitetural

Nos dias atuais, a Sensedia se preocupa muito com a arquitetura dos seus clientes, sempre pensando em como é possível fazer que o cliente chegue ao próximo passo da evolução arquitetural, o qual hoje são microserviços.

Para que você entender melhor essa evolução Arquitetural, recomendo que leia este post.

Agora vamos falar de um assunto que com certeza ainda é colocado em pauta em muitas grandes empresas que não possuem um desenvolvimento ágil e é norteado por metodologias como lean.

Avaliando a sua Maturidade SOA

Com certeza muitos gerentes e arquitetos de grandes empresas mesmo depois de investir tanto tempo e dinheiro com tecnologia, padrões, processos, ferramentas se perguntam: Eu tenho SOA? Ou seja, estou hoje conseguindo colher todos aqueles benefícios que nós pretendíamos com SOA?

Pois bem, esta pergunta realmente não tem e não pode ter uma resposta simples! Os benefícios que SOA traz para nós estão ligados diretamente ao nível de maturidade que estamos com SOA dentro da corporação.

Mas, como eu avalio o nível de maturidade SOA?

Os grandes Vendors de SOA possuem os seus modelos de maturidade para isso, mas, se você quiser aplicar esta avaliação mais imparcial, baseada na experiência de várias empresas, o Open Group disponibiliza um modelo de maturidade aberto que pode ser estendido e utilizado como modelo de maturidade SOA, o OSIMM (The Open Group Service Integration Maturity Model).

Como funciona esse modelo de Maturidade?

O OSIMM não avalia apenas uma área de TI (como arquitetura) ou apenas aspectos tecnológicos, na verdade sua avaliação abrange até elementos que muitas vezes estão fora de TI, mas esta intimamente ligado a SOA, como Business, estas áreas ou perspectivas o OSIMM chama de dimensão. São ao todo 7 dimensões: Business, Organization & Governance, Method, Application, Architecture, Information, Infrastructure & Management.

Além das dimensões também são 7 os níveis de maturidade arquitetural, distribuidos de forma crescente:

Dimensões SOA

Os três primeiros níveis de maturidade o OSIMM  – Silo, Integrates e Componentized é o que o Open Group classifica como Service Foundation Levels. Estes níveis podem ser recomendados como pré-requisitos para o início de implementação de serviços e colher os primeiros benefícios como SOA, como a promoção do Legado, primeiros serviços de negócio Botton Up, primeiros WebServices, etc.

E uma das coisas mais importante deste modelo, na avaliação é analisado é encontrado a classificação do nível de maturidade de acordo com cada dimensão, isso possibilita uma análise específica por dimensão e até priorizar ações de acordo com cada dimensão.

 

Matriz OSIMM SOA

As linhas desta matriz são as dimensões e as colunas são os níveis de maturidade. Cada célula indica o nível de maturidade em cada dimensão. Por exemplo: Methods em nível 4 Services é “Service Oriented Modeling”.

Então eu posso depois da avaliação encontrar um cenário onde, por exemplo, estou em Business nível 2, em Gover. & Org. nível 3, em Methods nível 4, Application nível 5, Architecture nível 4, Information nível 1 e Infra. & Manag. Nível 5.

Não necessariamente todas as dimensões vão se encontrar no mesmo nível de maturidade, isso depende muito do histórico da sua empresa em iniciativas anteriores com SOA.

Para se encontrar o nível de maturidade da corporação o OSIMM sugere identificar alguns atributos que indicam o nível de maturidade por dimensão.

O OSIMM já traz uma série de atributos que podemos usar se desejarmos, mas a ideia é de criar novos atributos conforme as necessidades de sua corporação ou conforme características até do setor que sua empresa atua, por exemplo, empresas de TELECOM possuem necessidades específicas como: mudanças constantes de processos de negócio, promoções constates, novos produtos e serviços temporários e ou específicos de regiões, etc.

No final da avaliação teremos provavelmente além da classificação de maturidade, um conjunto de GAPs levantados durante a análise. A próxima pergunta é: qual é o nível de maturidade que eu devo perseguir?

Bom, para definir este TO-BE, além de priorizar os GAPs atuais devemos também priorizar os benefício que cada nível de maturidade pode trazer, alinhando os benefícios mais desejados junto com as metas de TI e Negócio da sua corporação.

O OSIMM traz os principais benefícios para a corporação que o incremento de maturidade em SOA pode trazer.

E, finalmente, durante a execução do roadmap para atingir o nível de maturidade TO-BE, é importante ter sempre em mente estes benefícios e se possível construir meios de se medir a efetividade destes benefícios (métricas), para depois podermos demostrar metas atingidas relacionadas a estes benefícios.

Meça seus resultados!

Para entender um pouco melhor sobre as metas e como medir, é interessante você dar uma olhada nestes slides, que apesar de serem indicadores para APIs, é uma base muito sólida de como você precisa pensar para conseguir realizar métricas muito interessantes para seu negócio.

Como sempre, entre em contato comigo se tiver qualquer tipo de dúvida e também para realizarmos juntos a sua maturidade arquitetural.

Nome

E-mail Profissional

Empresa

Telefone

Sua mensagem

The following two tabs change content below.

Eike Malavasi

Amante de Tecnologia e Inovação, estudante de Publicidade e Propaganda na PUC-Campinas e sempre em busca de conhecimento.

No comments, write the first!

Leave a Reply